.posts recentes

. Fontes

. Questões

. Sistemas de Transporte no...

. Sistema circulatório fech...

. Plantas vasculares

. Limitações dos Modelos

. Hipótese da Tensão-Coesão...

. Hipótese da Pressão Radic...

. Hipótese do Fluxo de Mass...

. Sistemas de Transporte na...

.Objectivos do Blog

•Organizar e apoiar a aprendizagem relativa à temática: “Transporte nas Plantas e nos Animais”;
•Permitir uma reflexão sobre as actividades abordadas ao longo das aulas;
•Divulgar no cyberespaço o trabalho e as reflexões da turma;
•Permitir um espaço de interacção;
•Construir um instrumento de avaliação.

.arquivos

. Março 2008

Sexta-feira, 14 de Março de 2008

Fontes

-manual: biologia 10/11

- internet: google.com

                  sapo.pt


publicado por 10CT4 às 14:03

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Terça-feira, 11 de Março de 2008

Questões

Atendendo aos dados da figura1 responde ás seguintes questões:

 

1-O que representam as setas azul e vermelha, em movimento ao longo da planta?

 

2-Descreva o percurso efectuado pela água no interior da planta.

 

3- O que representa o símbolo ***** ?

 

4- Que tipos de tecidos de transporte estão indicados na figura?

 

5- Que tipo de seiva circula em cada um  desses tecidos de transporte?

 

6- Como classifica a planta quanto á presença ou ausência de tecidos condutores?

                                                                                                                                             Sónia


publicado por 10CT4 às 14:21

link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito

Segunda-feira, 10 de Março de 2008

Sistemas de Transporte nos animais

Sistema Aberto

Quando comparamos sistemas circulatórios constatamos que existe um padrão comum.

- um órgão propulsor que impulsiona o fluido circulante a todo o corpo;

- um sistema de vasos que encaminha o fluido circulante para as diversas direcções.

Muitos invertebrados como os artrópodes e certos moluscos apresentam um sistema circulatório onde o fluido circulante - hemolinfa- nem sempre se encontra dentro de vasos, saindo por vezes para espaços/cavidades chamadas lacunas - vaso dorsal com uma zona contráctil.



 

 

Sistema Fechado

A evolução, foi ao longo do tempo, acrescentando aos sistemas mais simples:

- um sistema arterial que distribui o sangue a todo o corpo e funciona como um reservatório de pressão;

- capilares que permitem as trocas de materiais entre o fluido circulante e os tecidos;

- um sistema venoso que traz o sangue de volta oa coração e que funciona como reservatório de volume de sangue.

Este tipo de sistemas é considerado sistema circulatório fechado. O sangue circula sempre dentro de vasos e as trocas decorrem através das respectivas paredes.


 

 



No caso da minhoca, existem dois vasos principais, um dorsal que funciona como um coração (impulsiona o sangue por ondas de contracção) e outro ventral, ligados por vasos laterais que ramificam formando redes de capilares onde ocorrem trocas de substâncias com fluido intersticial. Existem, na parte anterior da minhoca, 5 a 7 pares de vasos laterais (arcos aórticos ou corações laterais) que possuem zonas contrácteis que impulsionam o sangue do vaso dorsal para o vaso lateral.

Nas espécies de vertebrados o sistema circulatório é fechado, o sangue é impulsionado pelo coração através de um sistema de vasos sanguíneos.

Os animais das diferentes classes de Vertebrados apresentam uma constituição no número de aurículas e ventrículos variável, assim como o número de vasos ligados directamente ao coração. Independentemente das diferenças, em todos eles, o sangue que circula em veias, chega às aurículas, passa para os ventrículos e sai do coração para todo os órgãos circulando por artérias.





                                                                                                                                                       Sónia


publicado por 10CT4 às 21:14

link do post | comentar | favorito

Sistema circulatório fechado

·        Minhoca:

 

As minhocas são animais anelídeos da classe Oligochaeta, ordem Haplotaxida, distribuídas pelos solos húmidos de todo o mundo, algumas de apenas centímetros e outras com um a dois metros de comprimento, caso da minhocuçu.

            A minhoca com o longo do tempo foi desenvolvendo um sistema circulatório especializado ao seu organismo e às características do meio ambiente que a rodeia. Esse sistema circulatório chama-se sistema circulatório fechado.

            O sistema circulatório fechado da minhoca contêm:

  1. Um sistema arterial que distribui o sangue a todo o corpo e funciona como um reservatório de pressão.
  2. Capilares que permitem as trocas de materiais entre o fluído circulante e os tecidos.
  3. Um sistema venoso que traz o sangue de volta a todo o corpo e funciona como reservatório de volume de sangue.

 

Este tipo de sistema circulatório chama-se fechado porque o sangue circula sempre dentro de vasos e as trocas decorrem através das respectivas paredes.


 

                                                                                                                                                  Sónia

publicado por 10CT4 às 21:14

link do post | comentar | favorito

Plantas vasculares

As plantas, enquanto seres pluricelulares complexos, necessitam de transportar substâncias minerais às folhas, para garantir até ás folhas a síntese de compostos orgânicos que aí ocorre. De seguida, esses compostos encaminhar-se-ão para certos órgãos das plantas para futuramente realizarem a fotossíntese.

As plantas mais evoluídas, desde os tempos iniciais até aos nossos dias, designam-se por plantas vasculares, em que a distribuição de substâncias ocorre devido á existência de sistemas de transporte, localizados nos diferentes órgãos das plantas e tendo necessidade de ambientes húmidos. Algo em questão, mas ainda não aprovado, é se existe alguma relação com as plantas avasculares, ou seja, plantas que não possuem estruturas especializadas no sistema de transporte.

Estas plantas mais evoluídas, possuem sistemas de transporte especializados e a água e sais minerais utilizados pelas plantas na síntese de matéria orgânica, entram nestas por absorção da raiz. 

                                                                                                                                                  Sónia


publicado por 10CT4 às 21:11

link do post | comentar | favorito

Limitações dos Modelos

Fluxo de Massa

  • Não explica a translocação – movimento floémico bidireccional;
  • Os modelos físicos indicam que a pressão provocada pelo fluxo de massa não é suficiente para empurrar a seiva através das placas crivosas, estando certamente outros mecanismos, até agora desconhecidos, envolvidos neste processo.

 Pressão Radicular


·        Subida lenta.

·         Não atinge alturas muito elevadas

·         As coníferas não apresentam pressão radicular, pelo que este modelo não tem validade geral.

 

Tensão-Coesão-Adesão

É de notar que este sistema, embora eficaz, possui algumas “falhas”:

  • A corrente de transpiração estabelecida tem que ser obrigatoriamente contínua.
  • Se a continuidade da coluna for comprometida, o fluxo ascendente pára imediatamente.

                                                                                                                                        Todos os elementos


publicado por 10CT4 às 21:08

link do post | comentar | favorito

Hipótese da Tensão-Coesão-Adesão

Mais de 90% da água absorvida do solo é perdida por transpiração essencialmente foliar, sendo a grande parte da transpiração realizada de dia.

Assim, durante o dia, devido às elevadas taxas de transpiração, cria-se um défice de água no mesófilo foliar (parênquima clorofilino).

Durante a noite, a transpiração é mínima, e a absorção radicular de água é máxima.

Assim, segundo esta hipótese:

  1. Durante o dia o défice de água no mesófilo faz com que o meio fique hipertónico em relação ao xilema. O potencial de soluto elevado cria forças de tensão (diferença de potencial - pressão negativa).
  2. As moléculas de água tendem a agregar-se devido às pontes de hidrogénio, mantendo-se unidas numa coluna contínua, pode dizer-se que as pontes de hidrogénio exercem uma força de coesão.
  3. Além das forças de coesão, as moléculas de água possuem grande capacidade de adesão a outras substâncias, aderindo às paredes xilémicas.
  4. A tensão no mesófilo faz com que entre água por osmose. Devido às propriedades de adesão e coesão da água, a água movimenta-se numa corrente contínua (como um comboio, em que cada molécula é uma carruagem unida a outras). Assim, a entrada de água no mesófilo faz mover toda a coluna hídrica sendo que, quanto maior a taxa de transpiração foliar, maior é a velocidade de ascensão xilémica.
  5. A ascensão da coluna hídrica diminui o potencial hídrico no xilema radicular, aumentando assim a entrada de água no xilema por osmose e aumentando também a taxa de absorção radicular de água (devido à baixa no potencial hídrico do parênquima radicular).

Assim, devido a estas três forças básicas, é estabelecida uma corrente contínua de água no xilema, entre as raízes e as folhas denominada Corrente de Transpiração.


 

                                                                                                                         Alfredo e Nelson

publicado por 10CT4 às 21:02

link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

Hipótese da Pressão Radicular (Pressão de Raiz)

Esta hipótese postula que existe uma pressão formada na raiz (pressão radicular) que impele a seiva bruta para cima.

A acumulação de iões nas células radiculares (por transporte ativo), faz com que a concentração de solutos aumente pelo que a água entra na raiz por osmose.

A acumulação de água na raiz provoca então uma pressão radicular(pressão positiva da raiz) que força a água a subir.

Dois fenómenos apoiam esta teoria/ Evidências:

- Exsudação – subida contínua da água, mesmo cortando ou podando as suas extremidades.

- Gutação – Liberação de água sob a forma de gotículas pelas folhas através de hidátodos ou estomas aquíferos. Este fenómeno ocorre geralmente de manhã, já que a maior absorção de água ocorre durante a noite.

                                                                                                                                         Daniel e Bruno


publicado por 10CT4 às 21:01

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Hipótese do Fluxo de Massa

Esta hipótese baseia-se na existência de um gradiente de concentração de sacarose entre os órgãos produtores e os órgãos consumidores ou de armazenamento.

  1. A glicose é convertida em sacarose no mesófilo, antes de chegar ao floema;
  2. Por transporte activo a sacarose passa para as células companhia (que produzem energia) e destas para os tubos crivosos (através das conexões plasmáticas);
  3. À medida que aumenta a concentração de sacarose no floema, aumenta também a pressão osmótica, em relação aos tecidos circundantes (xilema e parênquima);
  4. A água entra por osmose nos tubos crivosos, aumentando a pressão de turgescência;
  5. A pressão de turgescência empurra a seiva através das placas crivosas, movendo-se a seiva das zonas de maior pressão para as zonas de menor pressão;
  6. Conforme as necessidades da planta, a sacarose vai passando para os locais de consumo e reserva (pensa-se que por transporte activo);
  7. Nos tubos crivosos o meio fica hipotónico (a pressão osmótica decresce), pelo que a água tende a sair por osmose;
  8. Nos órgãos de consumo e reserva a sacarose é degrada em glicose (e usada na respiração celular ou como componente de outros compostos), ou polimeriza-se em amido (ficando em reserva).

 

 

                                                                                                                         Elisabete

 



publicado por 10CT4 às 20:55

link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 7 de Março de 2008

Sistemas de Transporte nas Plantas (Floema)

Em botânica, o floema é o tecido das plantas vasculares encarregado de levar a seiva elaborada pelo caule até à raiz e aos órgãos de reserva.

A seiva elaborada, que é uma solução aquosa de substâncias orgânicas, é transportada através do floema desde os órgãos da planta com capacidade fotossintética até aos outros órgãos que funcionam como consumidores dessas substâncias. Ocorre em quase todas as partes da planta: caule, raiz, folha, partes florais etc.

Células crivosas

As células crivosas são células vivas (quase sem organelos), colocadas topo a topo, formando os tubos crivosos. As suas paredes celulares transversais denominam-se placas crivosas.

 Células de companhia

Células de companhia ou células companheiras são células vivas que se encontram associadas aos tubos crivosos. Possuem organelos e diversas mitocôndrias que fornecem ATP às células crivosas para o transporte activo de fotossintatos (produtos da fotossíntese).

 Parênquima liberino

As células do parênquima liberino exercem funções de reserva.

 Fibras liberinas

As fibras liberinas são as únicas células mortas do floema e exercem funções de suporte.

                                           Todos os elementos


publicado por 10CT4 às 14:28

link do post | comentar | favorito

Sistemas de Transporte nas Plantas (Xilema)

Xilema é um tecido condutor das plantas vasculares por onde circula a água e os sais minerais –seiva bruta desde a raiz até ás folhas. Nas árvores, o xilema secundário é o constituinte da madeira ou lenho.

 

 

O xilema possui quatro tipos celulares:

Traqueídeos

As células do xilema, chamadas traqueídeos, são células cilíndricas, alongadas e com numerosos poros, tanto nas paredes laterais, como nas apicais. A parede celular dos traqueídos encontra-se reforçada com lenhina, um composto químico produzido apenas pelas plantas, que as torna impermeáveis. Quando se encontram totalmente formadas, estas células perdem todo o citoplasma (tornam-se células mortas) e funcionam como vasos condutores da seiva, não só na direcção vertical, mas também para os tecidos circundantes.

 Elementos vaso

Tal como os traqueídos, também são células mortas lenhificadas. As células dispõem-se topo a topo, e as paredes celulares transversais desaparecem, formando-se vasos xilémicos. Também nos elementos vaso existem poros, que correspondem a zonas de permeabilidade, em que pode ocorrer passagem lateral da seiva bruta.

 Fibras lenhosas

São células mortas e alongadas, bastante lenhificadas, e cuja função principal é a de suporte dos feixes xilémicos.

 Parênquima lenhoso

As células do parênquima lenhoso são as únicas células vivas do tecido xilémico, e exercem funções de reserva.

 

 

                                                                                                                   Todos os elementos


publicado por 10CT4 às 14:14

link do post | comentar | favorito

.O nosso Blog

Olá! Somos da Escola Secundária Martins Sarmento, do 10º Ano da Turma CT4 e construímos este Blog para informarmos as pessoas sobre as nossas aulas de Biologia e Geologia.

Esperemos que gostem!

.Mais sobre nós

.pesquisar

 

.subscrever feeds